צדקה

 TSEDAKÁ x ESMOLA!

 Conceitos diferentes

Esmola:

        Do grego Eleêmosyne, do latim Eleemosyne e italiano Limosina: significa compaixão ou misericórdia em todos estes derivantes. Logo, não é visto como algo obrigatório. Dê quem tem, quando puder e se quiser. Se uma pessoa pobre (desprovido de bens físicos), lhe pedir uma esmola, pense que você dá se quiser e "se puder". Logo, uma gama de pensamentos prioritários surgem em nossa mente: Será que não vai me faltar amanhã, e as contas, do telefone, do gás, a padaria..........? Não, não posso! com toda certeza, outros com mais condições do que eu certamente saciarão a fome e outras necessidade deste coitado! Não é sempre assim, mas é isto que muitas vezes acontece conosco em relação à esmola. Quando a realizamos, nos sentimos bons, pois ela é condicional e se damos, poderemos pensar: é porque somos bons mesmos!!!!!

צדקה - Tsedaká:

       Do hebraico JUSTIÇA. צדיק Tsadik - Justo. Tsedaká ou Tsedakah, traduzido livremente como Justiça Social! Logo, então, entendamos que um pedinte em Israel, ao solicitar: "Uma Tsedaká por favor, uma Tsedaká!!!" Ele não apenas está pedindo, mas solicitando um direito dele! Ele está clamando: "Me dê minha parte"..."me dê aquilo que me pertence por direito na Torá"  ou "Me faça justiça".

        Todo Yehud (judeu) que crê em Hashem (Yhwh), sabe que deve (não por ser "bonzinho") mas por obediência ao Soberano, exercer a Tsedaká - Justiça Social. Mandamentos existem sobre a tsedaká: Não colher toda a lavoura deixando os cantos para os andarilhos, órfãos e viúvas. Vaykrá (Lv) 23:22:

"Quando fizeres a sega da tua terra, não segarás totalmente os cantos do teu campo, nem colherás as espigas caídas da tua sega; para o pobre e para o estrangeiro as deixarás. Eu sou o Yahueh vosso Elohah"

        Quando Yeshua estava passando por uma seara e seus discípulos estavam a colher espigas, eles não estavam invadindo uma propriedade e roubando, mas colhendo aquilo que lhe cabia por direito! Imagine que ao cumprir aquela mitzvá (mandamento), o dono daquela propriedade não podia imaginar que iria prestar serviço ao Rei dos Reis e aos homens que mudariam a história da humanidade! Insta dizer que, este mandamento é incentivado com promessa: Devarím (DT) 24:19:

"Quando no teu campo fizeres a tua sega e esqueceres um molho no campo, não voltarás para tomá-lo; para o estrangeiro para o órfão, e para a viúva será, para que o Senhor teu Elohá te abençoe em todas as obras das tuas mãos"

         A Torá e Yeshua incentivaram sempre a Tsedaká! Lucas 3:11:

"Respondia-lhes então: Aquele que tem duas túnicas, reparta com o que não tem nenhuma, e aquele que tem alimentos, faça o mesmo"

      Acredito que quando a Kehilat (congregação - Kahal) estiver pronta para cumprir este mandamento, é porque ela estará entrando na plenitude dos goym (gentios). Mas para isto acontecer, Hashem deverá primeiramente, permitir que os homens corruptos governem e persiga sua eleita, afim de purificá-la. Voltando ao termo Tsedaká, somos impelidos por Lei de exercer de alguma forma. Temos responsabilidades com os mais necessitados. Não tente salvar o mundo, pratique com aqueles que o Eterno por em teu caminho, este é o teu próximo! Quando ajudares alguém, não pense em esmola, não se sinta bom, pense sim na tsedaká e na sua responsabilidade, pense na Justiça Social e fique feliz por ter cumprindo sua parte no pacto entre nosso povo e Hashem!  

 

Nós nazarenos, praticamos a  tsedaká ao próximo. A obra do Eterno, este Site para estudos gratuitos sobrevive de Tsedaká. Nos ajude a manter este trabalho e ajudar mais e mais pessoas?

AG. 1301-3

Nº 44367-0

CONTA CORRENTE

BANCO DO BRASIL

Depósito em nome de FREDERICO S. C.                               

                                                                                                              משה בן שלום  - Rosh Moshé ben Shalom

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Square
  • google-plus-square