מגן דוד

           Magen David  - O Hexagrama

         A estrela de David possui outros nomes, como: Hexagrama, Estrela Judia e Magen David que significa "Escudo de David". Entretanto, afirmam os estudiosos, que esta estrela jamais foi usada pelo Rei David para absolutamente nada. Na verdade, o Hexagrama é um símbolo muito anterior, remonta ao tempo das primeiras civilizações, podendo até ser encontrado em tábuas sumérias e outras mais. De fato, este símbolo só passou a ser representante da naçãojudia no ano de 1864, quando judeus vienenses o ofereceram para que o Imperador Germânico Ferdinand III pudesse homenagear os judeus de Praga, por causa da Guerra dos Trinta anos (em que eles tinham ajudado). Depois, o símbolo se espalhou e tomou conta de muitos judeus. O que pouca gente sabe é que o símbolo não foi aceito por vários rabinos, que se opuseram fortemente por saber que se tratava de um símbolo pagão. Entretanto, influenciados pela popularidade que o símbolo tinha ganhado por estar estampado nas casas de pessoas influentes, as vozes dissonante foram abafadas e o símbolo tomou fôlego. Em 1897, o Hexagrama se tornou o símbolo do movimento Sionista. Como muitos sabem, o "Movimento Sionista" teve vávias entidades envolvidas e uma delas á maçonaria. Existe um livro maçônico chamado "A Segundo Milha" que, diz:

 

"A Estrela de seis pontas é um símbolo muito antigo, e um dos mais poderosos isto está em conformidade com fontes da Kabalah, livros místicos do judaísmo. Sem sombra de dúvidas, a chamada "Estrela de David" tem suas raízes no Ocultismo da Antiguidade. Podemos observar que a chamada "Estrela de David"

 

       O Hexagrama não só esteve presente em todas as culturas (desde as antigas até as mais recentes), mas também está em várias religiões, movimentos idealistas e outros mais. Reconhecemos a Menorah (Candelabro) de sete braços como o verdadeiro símbolo da nação Israelita conforme a Tanakh תנ״ך (Primeira Aliança) e ratificado na Brit Hadashah  (Guiliana (Ap) 4:5):

 

"Do trono saíam relâmpagos, vozes e trovões. Diante dele estavam acesas sete lâmpadas de fogo, que são as sete emanações de Elohah"

 

        Também Guiliana 5:6

 

"Depois vi um Cordeiro, que parecia ter estado morto, em pé, no centro do trono, cercado pelos quatro seres viventes e pelos anciãos. Ele tinha sete chifres e sete olhos, que são as sete emanações de Elohah enviados a toda a terra.

 

                                                                                                                                                             משה בן שלום - Rosh Mosheh ben Shalom

    טַלִּית   - O talit 

O talit – טַלִּית é um acessório instituído pelo Próprio Eterno YHWH. Em forma de um xale feito de seda, lã ou linho, tendo em suas extremidades as tsitsiot "sefaradi" (franjas ). Ele é usado como uma cobertura na hora das preces pelos filhos do Altíssimo, principalmente no momento los oração de Shacharit (primeiras orações feitas pela manhã) e na sinagoga. O talit isola o que esta orando do mundo a sua volta e facilita-o na em sua concentração durante a oração. Sobre o talit se interpreta que um dos objetivos deste acessório é criar um ambiente de igualdade entre os que estão orando na sinagoga.

A Brachah - Benção ao colocar o Talit e significado na Torah.

 

        A mitsvá (mandamento) de ציצית tsitsit (franja) é mencionada duas vezes na Torá:

 

"…Que façam para eles ציצית tsitsit (franjas) sobre as bordas das suas vestes, pelas suas gerações e porão sobre os ציצית tsitsit da borda um cordão azul celeste. E será para vós por ציצית tsitsit e vereis e lembrareis todos os mandamentos de Elohah e os cumprireis e não errareis indo atrás (do pensamento) do vosso coração e atrás (a vista) dos vossos olhos, atrás dos quais vós andais errando; para que vos lembreis e cumprais todos os Meus mandamentos e sejais santos para com vosso Elohah"                                                                                                                                                                       Bemidbar. (Nm): 15:38,39 

 

 

"ציצית (Franjas) farás para ti e as porás nos quatro cantos de tua vestimenta com que te cobrires."                                                                                                                                                                     Devarím (Dt): 22:12

 

       A própria Torá assim explica o propósito dessa mitsvá (Mandamento):

 

 

 A Brachah - Benção ao colocar o Talit Gadol:

 

BARUCH ATÁ ADONAI ELOHÊNU MÊLECH HAOLÁM, ASHER KIDESHÁNU BEMITSVOTÁV VETSIVÁNU AL MITSVAT TSITSIT

 

"Bendito és Tu, ó Eterno, nosso Elohah, Rei do Universo, que nos separou com Seus Mandamentos e nos ordenou sobre a mitsvá de tsitsit "

  כיפה - KIPÁ

      ORIGEM PAGÃ

        סדר פסח

 SÊDER DE PÊSSACH

    O OVO DA SERPENTE NA CEIA!

        מְזוּזָה  

Mezuzah - Fatos e Mitos!

  מנורה

A Menorá 

A Menorá (no hebraico: מנורה - menorah - "lâmpada, candelabro"), é um candelabro de sete braços, é um dos principais e mais difundidos símbolos das Escrituras e do Judaísmo em sí. Originalmente era um objeto constituído de ouro batido, maciço e puro, feito por Mosheh (Moisés) para ser colocado dentro do קדוש קדושים  (Kadosh ha Kadoshim) Santo Lugar - átrio intermediário entre o Átrio Exterior do Santuário e o Santo dos Santos - juntamente com o Altar de Incenso e a Mesa dos Pães da Proposição. Diz-se que simboliza os arbustos em chamas que Moisés viu no Monte Sinai  e prezumidamente; 7 ramos  ardentes!

 

A Menorá existia tanto no Tabernáculo quanto no Primeiro e, posteriormente, no Segundo Templo (Êxodo 25:31-40; Êxodo 37:17-24, Zacarias 4:2-5; Zacarias 10:14). Só no ano 69d.C., com a invasão romana a Jerusalém e a destruição do Templo, a Menorá foi levada pelos invasores para Roma, - fato este retratado em forma de relevo no Arco de Tito:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Atualmente, a Menorá constitui um símbolo do Estado de Israel, juntamente com a Estrela de Davi. Esta segunda mais por imposição do  qualquer outra coisa. A primeira Menorah foi feita obedecendo a instruções minuciosas do Eterno. Na Menorá, há sete braços ao todo: uma haste central, e três braços que saiam de cada lado.

Naturalmente, o fogo e a iluminação sempre tiveram um papel muito importante. Quando o Templo foi destruído, a Menorá tornou-se principal símbolo artístico e decorativo da fé judaica. A Menorá foi reintroduzida em 1948 (proclamação do Estado de Israel) como símbolo nacional do povo judeu e da identidade de Israel. Também utilizado em Kehilot - Messiãnicas, que veem nas lâmpadas do candelabro, sete características relacionadas na bíblia á Yeshua ha Mashiach:

 

“Do tronco de Jessé sairá um rebento, e das suas raízes, um renovo. Repousará sobre ele (1) O Espírito do YHWH, (2) o Espírito de sabedoria e (3) de entendimento, (4) o Espírito de conselho e (5) de fortaleza, (6) o Espírito de conhecimento e (7) de temor do SENHOR.” Is (11:1-2)

Os sábios de Israel afirmam que toda a Torá (o Pentateuco) tem um significado; cada livro da Torá tem um significado; cada frase da Torá tem um significado; cada palavra da Torá tem um significado; cada letra da Torá tem um significado. Com essa convicção, os sábios querem manifestar a insondável profundidade da Palavra de Hashem que, quanto mais entendida, mais falta entender, pois a Palavra do Eterno é o próprio YWHW. E, quem pode dizer que o domina pelo conhecimento? É fonte inesgotável.

Com o mesmo espírito devemos procurar descobrir as riquezas dos símbolos bíblicos, vencendo a tentação racional de breves e definitivas definições. Em si, os símbolos são sempre ricos e passíveis de muitas explicações; maior ainda a riqueza se forem encontrados nas Escrituras. 

Dito isso, gostaria de levar o leitor a explorar, para seu alimento espiritual, um símbolo que hoje está presente em Israel, em Sinagogas, em ilustrações e imagens. Sua descrição está no livro do Shemot (Êxodo) 25, 31-40, no momento em que o Eterno descreve a Mosheh o modo de construir o Mishikan (Santuário) onde serão guardadas as Tábuas da Lei:

 

“O candelabro será polido, tanto a base como a haste. Seus cálices, botões e flores formarão uma só peça. Seis braços sairão de seus lados, três de um e três de outro”.

 

Mosheh fez como o Eterno lhe ordenou e, na Terra prometida, a Menorá foi guardada no Templo de Jerusalém, sempre acesa com óleo puríssimo. Após o ano 70, quando o Templo foi destruído pelos romanos e Israel deixou de existir como Estado, foi levada a Roma pelos soldados e ficou exposta no Templo da Paz de Vespasiano. Depois, perdem-se as notícias e surgem mitos. Hoje, a Menorá é o símbolo do Estado de Israel.

 

O que significa a Menorá?

O YHWH não explicou o significado da Menorá, mas deu seu Espírito para que busquemos as riquezas de seu simbolismo, alguns significados:

שבת - SHABAT e os outros dias da Criação – o Shabat, o Sétimo Dia é sagrado porque celebra a conclusão da obra criadora do HASHEM. É o dia reservado para o repouso e para o louvor à obra que o Criador viu que “era muito boa”. O SHABAT é o último dia da semana: HASHEM abençoou o sétimo dia e o santificou, pois nesse dia o Eterno repousou de toda a obra da criação (Gn 2,).

A Menorá simboliza a semana: a lâmpada central é o SHABAT, e os seis braços os seis dias da Criação. Assim também, a nação judia e as outras seis astes as os povos gentios enchertados na boa oliveira, Israel.

Ao entrar no Templo e, hoje, nas Sinagogas, contemplando a Menorá, nosso  povo judeu nele vê a obra do Yahueh  YHWH e louva sua sabedoria e beleza.

עץ חיים - etz chaim - Árvore da Vida – “E o HASHEM fez brotar do solo toda sorte de árvores de aspecto atraente e de fruto saboroso, e, no meio do jardim, a árvore da vida e a árvore do conhecimento do bem e do mal” (Gn 2, 8-9).

Comer desse fruto é a decisão de querer ser igual ao Eterno, decidir por conta própria o que seja bom ou mal. A Árvore da Vida, em algumas ilustrações, finca as raízes nos céus e seus ramos cheios de frutos se estendem generosamente pela terra. Unidos ao YHWH teremos sempre o alimento que dá a vida.

A Menorá também significa a Árvore da Vida. Ela recorda ao crente que não viverá separando-se do Criador.

Menorah – reconstruída

segundo a descrição bíblica

עץ חיים

Etz chaim

   משה בן שלום