O MASHIACH PELO ZOHAR

 

 

O que o Zohar - livro místico da Cabala judaica - ensina sobre o Mashiach?

 

 

CRÉDITOS: Rosh Moshé ben Shalom

 

Fonte base: O Zohar – Livro do Esplendor – Ariel Bension (1880-1932).

 

O COMPÊNDIO DO ZOHAR

    A datação do Zohar é um mistério, a maioria acredita vir do século XIII, por volta do ano 1200 adiante. Alguns atribuem ser antes e alguns posterior. De acordo com todos os Cabalistas e de acordo com o início do livro, o Zohar foi escrito pelo Rabino Shimón Bar Yochai (Rashbi), que viveu nos séculos II e III da nossa era. Existem algumas opiniões nos círculos acadêmicos que afirmam que o Zohar foi escrito no século XI pelo cabalista Rabino Moises de Léon. Esta opinião foi negada pelo próprio Rabino Moises de Léon, que afirmou que o livro foi escrito pelo Rashbi.

O que sabemos é que é antigo. Quanto mais voltarmos aos relatos arcaicos, entenderemos como era o conceito judaico da época. Neste caso, analisaremos o conceito de Mashiach o que parece ser muito diferente do atual judaísmo. O Zohar é um livro místico e um tanto fantasioso.  Não estou aqui me importando com a inspiração deste Sefer e sim, analisar o conceito de Mashiach da época.   

    O Zohar foi mantido oculto por 900 anos, entre o século II e o século XI da nossa era, devido a que os que possuíam sua sabedoria compreendiam que naqueles tempos as pessoas não a necessitavam e por isso interpretariam incorretamente o seu conteúdo. No século XVI apareceu um Cabalista que explicou os fundamentos da Cabala. Este Cabalista foi o Santo Ari, o Rabino Isaac Luria (1534 – 1572). O Ari afirmava que deste momento em diante a sabedoria da Cabala estava preparada para ser revelada para todo o mundo.

O Mashiach é o servo sofredor de acordo com o Zohar

Zohar - Pág. 171:  “O Messias aceita as dores e os sofrimentos da humanidade. A purificação do mundo está concentrada nele. Por isso Israel espera sua vinda” 

O conceito de Mashiach no livro cabalístico Zohar, bate exatamente com a visão de Yeshayahu - Isaías -  53 que temos, a de alto sacrifício pela humanidade e não apenas a de um rei político, como apresentado hoje pelo judaísmo moderno.

Ieshayahu – Isaías 53:4:  “Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e carregou com as nossas dores; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Elohá, e oprimido”

Matityahu  -  Mateus 10:1:  “E, chamando a si os seus doze discípulos, deu-lhes autoridade sobre os espíritos imundos, para expulsarem, e para curarem toda sorte de doenças e enfermidades”

Frase poética do Zohah  -  Pág. 201:  “No Paraiso há um palácio conhecido como o Palácio dos Enfermos, onde o Mashiach entra para visitar todas as enfermidades, as dores  e os sofrimentos convidando-os a se apossarem dele. Fazem isto, e o Mashiach então sofre todos os castigos que Israel merece.  Se o Mashiach não tivesse sofrido todos os castigos merecidos por Israel, ninguém seria capaz de suportar os sofrimentos do mundo. Mas o Mashiach suporta o sofrimento de toda a humanidade”

Veja que o conceito do Mashiach padecer por Israel é totalmente judaico. Está no Zohar, a terceira fonte de luz judaica, sendo elas o Tanach (Primeira aliança), o Talmude e o Zohar. Em alguns lugares, o Zohar foi a maior fonte de unificação do judaísmo antigo.

Se porventura você observar certos “judeus”, dizendo que este conceito do Mashiach sofredor é amplamente romano, é sem dúvida uma enganação e uma controvérsia. Haja vista, o Zohar ser um livro intocável dentro do conceito ortodoxo. Sendo assim, hoje em dia, alguns que se dizem “judeus ortodoxos”, na verdade vieram  do messianismo ou cristianismo. Dizem por A mais B, que em Yeshayahu - Isaías 53, quem faz expiação por Israel é o próprio Israel. Vemos claramente que, o Zohar  - terceira maior fonte de luz judaica discorda disso. Não aceite que imponham-lhe a falácia de que o seu conceito sobre Mashiach, é romana. Isso absolutamente não não é verdade! Encontramos tais conceitos em antigas literaturas judaicas as quais, hodiernamente, o judaísmo aí estabelecido por ex-cristãos (este é realmente o mais nocivo à nossa fé nazarena) tenta interpretá-las afim de desvirtuar seus significados messiânicos nelas implícitos.  Só para constar, nada mais, nada menos que o lendário rabino Shimon ben Yochai - homem este que o Zohar o coloca em pé de igualdade com o próprio  Moshé (Moisés) - é quem afirma que o Servo sofredor é o Mashiach e que ele pagaria pela transgressão de ISRAEL, bem como, a do mundo. Será que ele teria recebido influencia do papado para crer desta maneira. Já que a premissa dos anti-missionários é: Quem professa o servo sofredor de Isaías 53 como o messias é influenciado por Roma!  Esta indagação, aos ouvidos judaico, chega a beirar blasfêmia! Como alguém poderia afirmar que Shimon ben Yochai seria influenciado pelo vaticano? Mas com este disparate, mostro outro disparate. Sabemos então, que o rav Shimon não foi influenciado por Roma e, defender sua premissa sobre o servo sofredor de Isaías 53, não te qualifica como pupilo de Roma! Se alguém lhe condena por isso....condena o grande Shimon ben Yochai automaticamente!  Ratificando: Então afirmar que o ato de crer no servo sofredor como um homem que iria penar por outros, não é conceito romano, senão, teria que admitir que o Zohar sofreu tal influencia,  o que é inaceitável dentro do judaísmo e um disparate histórico, é claro.  Este falso judaísmo é destruído por sua própria literatura!

O Mashiach é a Porta de acordo com o Zohar

Ainda na página 201  -  Zorah - O livro do Esplendor (Ariel Bension), temos: “Nosso conhecimento sobre o Santíssimo é imperfeito... o conhecemos somente porque certas portas estão abertas ás pessoas que buscam o conhecimento do Eterno. UMA ÚNICA PORTA CONDUZ A TODOS OS GRAUS. E é por esta PORTA e este GRAU que conhecemos a Majestade (Kavod) de Elohá. A primeira porta pela qual alguém deve entrar é a PORTA DO TSADIK (JUSTO)... Todas as portas mais altas se apoiam nesta. Mas a porta está desconhecida porque Israel está em exílio (depois de 70 dc. Quando o templo foi destruído) Mas quando Israel for libertado de seu exílio (lembrando que Israel renasceu como nação soberana e independente em 1948, este texto fora escrito quase 1000 anos antes), ele VOLTARÁ (o Mashiach) a se elevar a todos os graus mais autos... Eis que os olhos dos homens se abrirão e poderão ver a primeira porta, que é a PORTA DA TENDA ou a PORTA DO JUSTO, E todos confiarão no Mashiach, que julgará o mundo”

    O Zohar mostra que o Mashiach é a porta que abre todas as outras portas para o conhecimento de Hashem.  Mostra que o Mashiach surgirá depois do exílio de Israel. O Mashiach é chamado de Porta da Tenda ou Porta do Justo! Compare com Yochanam (João) 10:9: “Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens”.

Matityahu (Mateus ) cap. 7: 12-14:  “Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós a eles; porque esta é a lei e os profetas (o Tanach - 1ª Aliança). Entrai pela PORTA estreita; porque larga é a PORTA, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; e porque estreita é a porta, e apertado o caminho que conduz à vida, e poucos são os que a encontram”

O Mashiach é o Pastor e Juiz de acordo com o Zohar

“...ele voltará (o Mashiach) a se elevar a todos os graus mais autos... Eis que os olhos dos homens se abrirão e poderão ver a primeira porta, que é a PORTA DA TENDA ou a PORTA DO JUSTO, E todos confiarão no Mashiach, que julgará o mundo.” Zohar.

Agora leia Yochanam (João) 10:16:  “Tenho ainda outras ovelhas que não são deste aprisco; a essas também me importa conduzir, e elas ouvirão a minha voz; e haverá um rebanho e um pastor”

Segundo o Zohar - datado do ano 1200 - em que lugar de Israel se revelará o Mashiach?

“Mas como a Galileia foi a primeira cidade a ser destruída na época da destruição do Templo, a galileia será a primeira cidade na qual o Mashiach se revelará”

    Incrível, pois segundo o Zohar o Mashiach se manifestará na galileia e é de lá que sairá sua ordem de guerra contra as nações. Exatamente, foi na galileia que ele, em sua primeira manifestação como o servo sofredor, fora levado ainda pequenino. Matityahu (Mateus) 2:19 – 22: “Mas tendo morrido Herodes, eis que um anjo do Senhor apareceu em sonho a Yosef (José) no Egito, dizendo: Levanta-te, toma o menino (Yeshua) e sua mãe (Miryam) e vai para a terra de Israel; porque já morreram os que procuravam a morte do menino... Ouvindo, porém, que Arquelau reinava na Judeia em lugar de seu pai Herodes, temeu ir para lá; mas avisado em sonho por divina revelação, retirou-se para as regiões da Galileia”

    Yeshua igualmente, até antes do seu Mikvé – Unção – esteve na Galil (Galileia) veja: Matityahu 3:13: “Então veio Yeshua da Galil (Galileia) ter com Yohanam (João), junto do Yarden – Jordão  -  para ser imergido por ele”

Matityahu 4:23: “E percorria Yeshua toda a Galil (Galileia), ensinando nas sinagogas, pregando a palavra do reino, e curando todas as doenças e enfermidades entre o povo”

     Como  mostrado, Yeshua operou na Galileia e segundo o Zohar, é de lá que o Mashiach irá se manifestar em poder novamente.  Bem pragmático não acha? Muitas coisas similares entre as narrativas do livro mistico e o cumprimento de Yeshua haMashich. Ainda na página 204, indica uma terrível aflição a Israel nos últimos dias, acometido pelas nações opressoras. Também afirma que o Mashiach irá aparecer juntamente com uma coluna de fogo (nada-nada, como o judaísmo atual espera, apenas um bom homem, justo e político para Enaltecer Israel politicamente ante às nações). 

O Mashiach será assunto aos céus segundo o Zohar

Narra o Zohar página 204: “Ao final deste período, a coluna de fogo desaparecerá, pois então o Mashiach terá subido ao céu para receber poder e a Coroa Real”

Compare com o já ocorrido em Matityahu 28:18: “E, aproximando-se Yeshua, falou-lhes, dizendo: Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra”

    Será que, o que ocorre no Zohar é realmente uma ratificação? Finalmente o Mashiach receberá por completo seu Reino. Lembrando que David recebeu a unção Real desde moço, depois aos 17 anos, uma nova porção e, definitivamente com 30 anos, recebeu outra porção (pois tamanha fora a unção dada a David, que ele a recebeu parcelado em 3 vezes.) e foi quando se tornou de fato o rei.  O Zohar, narra mais que uma unção real. Deixa claro, pela antiga visão judaica, que o Mashiach não é Hashem. Deixa claro também, uma áurea mística sobre o Mashiach, quando fala de sua assunção ao céu. Claramente fazendo menção ao Ser com aparência de “Filho do Homem”, que no livro de Daniel no capítulo 7 e versos 13 e 14, é levado ao Shamaim e posto diante da presença do Ancião de Dias (Hashem), ali de fato é dado-lhe definitivamente, todo o poder e a posse do reino da terra, veja:  “Eu estava olhando nas minhas visões noturnas, e eis que vinha com as nuvens do céu um como filho de homem; e dirigiu-se ao ancião de dias, e foi apresentado diante dele. E foi-lhe dado domínio, e majestade, e um reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem; o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino tal, que não será destruído”

 

MT. 28:18 "E, aproximando-se Yeshua, falou-lhes, dizendo: Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra"

 

Depois da assunção do Mashiach, o Zohar apresenta obviamente sua descida à Terra veja:

“Quando o Mashiach descer à terra de novo, a coluna de fogo se tornará visível a todos. O Mashiach se manifestará por meio de uma declaração de guerra ao mundo inteiro (aqui já não é como o servo sofredor que segundo o Zohar padecerá por Israel e a humanidade, aqui ele vem como o General, o Guerreiro). Muitas nações se submeterão a ele.  Seu poder será manifesto e todos os homens o conhecerão. Muitos reis lhe declararão guerra e muitos judeus sem honra se alinharão contra o Mashiach. Então o mundo estará na escuridão por 15 dias, e um grande número de israelitas perecerão nas sombras. Depois o cetro de Israel será levantado”

Livro das Revelações – Guiliana  - Apocalipse - capítulo 20:6-9:

“Bem-aventurado e santo é aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte; mas serão sacerdotes de Hashem e do Mashiach, e reinarão com ele durante os mil anos. Ora, quando se completarem os mil anos, Satan será solto da sua prisão, e sairá a enganar as nações que estão nos quatro cantos da terra, Gogue e Magogue, cujo número é como a areia do mar, a fim de ajuntá-las para a batalha. E subiram sobre a largura da terra, e cercaram o arraial dos santos e a cidade querida; mas desceu fogo do céu, e os devorou”

 I COR. 15: 24:  “Então virá o fim quando ele entregar o reino a Elohá o Pai, quando houver destruído todo domínio, e toda autoridade e todo poder”

Zohar página 206:

 “Então todos os anjos do céu virão para oferecer presentes ao Mashiach. Ele entrará no Palácio, no qual os anjos são chamados ‘Os que choram por Sion”

Matityahu 4: “porque está escrito: Aos seus anjos dará ordens a teu respeito; e: eles te susterão nas mãos, para que nunca tropeces em alguma pedra”

    Veja que, ainda por um prisma diferente, não podemos aceitar que não seja um conceito amplamente judaico, de o Mashiach morrer por Israel, subir ao Shamaim, descer e declarar guerra ao mundo e ser servido por anjos. Não aceite isto como algo que Roma tenha inventado. Se também analisarmos o Mashiach pelo olhar Issi’ím Essênio (estes que eram da linhagem levítica sumamente zelosos quanto à Torah), também encontraremos todos estes princípios sobre o Mashiach. Como falei, meu objetivo não é afirmar a legitimidade da inspiração do Zohar (essa legitimação é o judaísmo quem o faz). Então, porque não aceitar estes conceitos como algo judaico, se o mesmo está inserido na literatura judaica?

Continuando sobre a aparição do Mashiach sob a ótica do zohar:

“Então a Luz se propagará por todo o mundo, começando pela cidade de Yericó – Jericó, a cidade das tamareiras”

Marcos 10:46 “Depois chegaram a Jericó. E, ao sair ele de Jericó com seus discípulos e uma grande multidão, estava sentado junto do caminho um mendigo cego, Bartimeu filho de Timeu. Este, quando ouviu que era Yeshua, o nazareno, começou a clamar, dizendo: Yeshua ben David “Filho de Davi”, tem compaixão de mim”

 O que se percebe, é que o Mashiach profetizado pelo livro judaico (Zohar) parece fazer a mesma trajetória que Yeshua fizera. Será isso coincidência?

O Mashiach nos ensinará nos Shabatot em meio as chagím – dias Festivos

“Felizes são os tsedukim – Justos – que ouvirão a voz do Mashiach quando ele revelar os Mistérios da Torah nos Shabatot e chagím (Sábados e dias de festas)! Pois quanto os Justos à escola do Shamaym, eles ficam em volta do Mashiach, que lhes explica o Mistério das Dez Palavras (Decálogo) ”

Marcos 10: “Levantando-se Yeshua, partiu dali para os termos da Judeia, e para além do Jordão; e de novo as multidões se reuniram em torno dele; e tornou a ensiná-las, como tinha por costume”

Lucas 2: 42 – 47: “Quando Yeshua completou doze anos, subiram eles segundo o costume da festa; e, terminados aqueles dias, ao regressarem, ficou o menino Yeshua em Yerushalaym (Jerusalém) sem o saberem seus pais; e não o achando, voltaram a Yerushalaym em busca dele. E aconteceu que, passados três dias, o acharam no templo, sentado no meio dos doutores, ouvindo-os, e interrogando-os. E todos os que o ouviam se admiravam da sua inteligência e das suas respostas”

Lucas 4:16 – 21: “Chegando a Natzareh, onde fora criado; entrou na sinagoga segundo o seu costume no dia de shabat, e levantou-se para ler. Foi-lhe entregue porção do livro do profeta Yeshayahu -  Isaías; e abrindo-o, achou o lugar em que estava escrito: A Ruach – A Unção do Yahué está sobre mim, porquanto me ungiu para anunciar boas novas aos pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos, e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e para proclamar o ano aceitável do Senhor (O Grande Jubileu que redimirá a humanidade). E fechando o livro, devolveu-o ao assistente e sentou-se; e os olhos de todos na sinagoga estavam fitos nele. Então começou a dizer-lhes: Hoje se cumpriu esta escritura aos vossos ouvidos”

    Bom, não poderei colocar todas as citações do Zohar sobre o Mashiach devido serem muitas. Vale ressaltar que, o importante é mostrar que o pensamento atual sobre o Mashiach no meio judaico, não corresponde às previsões deste livro mítico e cabalístico, o Zohar -  o  livro do Esplendor. Livro este teoricamente enaltecido por todo o mundo judaico. Um paralelismo gritante foi traçado entre o que Yeshua fez e fará, com a realização do Mashiach no Zohar. Muitas vertentes do judaísmo Messiânico e Nazareno, vem sofrendo preconceito por confiarem nas profecias da Brit Chadashá (Novo Testamento), principalmente, as apocalípticas.  Sempre a premissa de “me mostre isso na Torá”.  Responda assim aos falsos judeus a partir de agora: 

 

                                                     "Te mostro no Zohar"

Moshé ben Shalom!                                          

 

                                                                                                       Clique aqui!