ÉTICA E MORAL PARTE I

 

Kedushá (קדושה)   ou Tuma (תומא)?

 

Então o Yahueh levanta seu navi (Profeta) Ageu para indagar aos Kohaním (Sacerdotes), vide Ageu 2:12:

 

"Se alguém leva carne santa no bolso de suas vestes, e com ela tocar no pão, ou no guisado, ou no vinho, ou no azeite, ou em outro qualquer mantimento, porventura ficará isto santificado? E os sacerdotes responderam: Não.
E disse Ageu: Se alguém que for contaminado pelo contato com o corpo morto, tocar nalguma destas coisas, ficará ela imunda? E os sacerdotes responderam, dizendo: Sim, ficará imunda"

 

Em outras palavras, a impureza viaja mais rápido do que a santidade. É mais difícil transmitir Kedushá (Santidade) do que Tumá (impureza). Se você SE ASSOCIAR com iníquos, a probabilidade deles te contaminarem é mais ampla do que a de você os levar a pureza. No tocante a isso, o rav Shaul (vulgo Paulo) aconselhou:


"Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se (achi) irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais"  I Coríntios 5:11

 

Em Pirquêi Avot (פרקי אבות - Ética dos Pais), um tratado da Mishná (משנה), o rav Nitai de Arbel diz: "Afasta-te do mau vizinho, não te associes ao transgressor da Torá e não desacredites na retribuição de todas as ações"

Temos numa beraitá, um conto folclórico judaico, mas de grande valia, se tomarmos o seu significado emprestado para nós mesmos:

 

- O rei David (supostamente) pediu ao seu joalheiro para que lhe fizesse uma peça que fosse simultaneamente útil e ornamental. Indeciso, o joalheiro consultou o príncipe Sh'lomom que lhe aconselhou: Faça um anel e grave nele as seguintes palavras "Isso também Passará." O propósito era: quando tudo estivesse indo bem, o rei lendo a mensagem do anel não ficaria tão contente. Se porventura as coisas fossem más, a mensagem lhe serviria da mesma medida, não há motivo de desespero, pois tudo passa!

 

Numa outra beraitá. temos em Polônio de Edward Fitz a seguinte história: 
- Um sultão pediu a Sh'lomom um lema que lhe service tando no presente como no futuro, na adversidade e na prosperidade. Sh'lomom respondeu: "Isto também passará."

 

Não se desespere ao ver a prosperidade dos ímpios, quando eles estiverem se levantando como os montes mais elevados. Isto certamente passará! Por isso mesmo, o rav Nitai de Arbel aconselhou: "....não te associes ao transgressor da Torá e não desacredites na retribuição de todas as ações."


Com tudo isso, eu Moshé ben Shalom, entendo do porquê o mal sempre parecer chegar primeiro aos Tzadikim (צַדִיקִים) justos, à que chegar aos que cometem (עוון) avon, perversidade, depravação, iniquidade. É que ao associar com os perversos, para uma eventual prosperidade rápida e ilícita, quando as coisas vão mal, eles, por serem astutos, livram-se facilmente da situação embaraçosa, deixando o associado de mente mais inocente, pagar o pato em seus lugares. Por isso, não devemos nem sequer comer com tais como afirmou o rav Shaul. Doravante, a sorte dos maus não irá estar sempre à seu favor. Assim finalizo mais uma vez, com o conselho do rav Nitai: "Não desacredites na retribuição de todas as ações" Pirquêi Avot (פרקי אבות - Ética dos Pais.

Lembre-se, um objeto santo não santifica outro só por tocá-lo, mas o objeto impuro mancha o objeto limpo, segundo a resposta dos kohením ao profeta Ageu.

Guilyana (Apocalipse) 22:11:
"Quem é injusto, seja injusto ainda; e quem é sujo, seja sujo ainda; e quem é justo, seja justificado ainda; e quem é santo, seja santificado ainda"

 

 

 

 

ÉTICA E MORAL PARTE II

BEITH SHAMAI E BEITH HILEL

 

Rav. Shamai disse certa feita a seus talmidim (seguidores): " ...fala pouco e faz muito"


obs: Shamai viveu entre 50 a.C.– 30 d.C. e foi um estudioso judeu do primeiro século e uma das figuras mais importantes da Mishná. Fundou uma escola conhecida como: Yeshivá Beit Shamai. Famoso por defender a literalidade da Torá, geralmente é associado a seu mais nobre opositor no campo das ideias, o rabino e ancião Hilel (הלל), cujo foi o nassi do sinédrio judaico.

Passado milênios, percebemos que este ensinamento de do rav Shamai ainda é vigente, atualíssimo em dias hodiernos. A frase é pequena, simples, e de fácil compreensão, mas de mui difícil aplicação. Pensando nisto, reporto-me ao patriarca Avraham (Abraão); como ele vivenciou isto de forma maravilhosa.

O "fala pouco e faz muito" tem Avraham como o primeiro das Escrituras a nos ensinar em prática este conceito. Propiciando uma linda ilustração do ensinamento posterior do rav. Shamai. Disse Avraham (De abençoada memória):

"Eia, traga-se um pouco d'água, e lavai os pés e recostai-vos debaixo da árvore e trarei um bocado de pão; refazei as vossas forças, e depois passareis adiante" Bereshit (Gn) 18:4,5

 

Assim Avraham ha navi (o profeta), disse muito pouco. Mas o que foi que ele fez? Além de oferecer, como promessa, apenas um bocado de pão, uma simples lavagem de pés e uma sombra de árvore, ele depois de ter cumprido sua palavra (o que conota não ser de língua dobre), mandou trazer leite e manteiga e, mais tarde, carne e tortas de trigo. Assim, ele falou pouco e fez muito! Aprendo aqui um princípio:

- "melhor surpreender do que decepcionar"

 

Têm pessoas que fazem justamente o contrário de Avraham; prometem e prometem, criando uma gigantesca expectativa e quase nada fazem. Prometa pouco e faz sempre uma pouco além, surpreenda ao invés de decepcionar! 


Este pensamento de Shamai, talvez  explique o porquê sua fama de pouca paciência com as pessoas, enquanto outro grande homem Hilel (הלל) era tido como de inesgotável paciência para com todos. Certa feita, um homem apostou 400 zuzim afirmando ser capaz de tirar a paciência do rabino Hilel (הלל), depois de desesperadas tentativas, ele assumiu ao mestre Hilel (הלל) que havia apostado e por isso estava o importunando tanto. Então reclamou com o rav: "por causa de ti eu perdi 400 zuzim." Rav. Hilel (הלל) disse: "melhor é que você perca ainda outros 400 zuzim do que Hilel perder a paciência"

 

Obs. Hilel (הלל), o Ancião (nassi - príncipe do sinédrio), viveu entre (60 a.C. - c. 9) é o nome pelo qual é conhecido este célebre líder judeu, que viveu durante o reinado de Herodes, o Grande, na época do Segundo Templo. Estudioso respeitado em seu tempo, Hilel (הלל) é associado a diversos ensinamentos da Mishná e do Talmud, tendo fundado uma escola (Beit Hilel) para ensino de mestres.

O que eu quero dizer, é que o rav. Shamai, por ser mais prático e conciso, não tolerava tantos dizeres, isso explica seu lema de vida: "fala pouco e faz muito"

Lembro-me agora das palavras do rav. Shaul aos corintios:

 

"Porque o reino de Elohah (Malkut Hashem - olam habá) não consiste apenas em palavras, mas em poder (Kavod = peso)"  I CO. 4:20.

 

A maioria dos p'rushim (פרושים -- fariseus) nos dias de Yeshua haMashiach, falavam muito e faziam pouco. Yeshua, apesar de se encaixar mais nos ensinamentos da yeshivá do rav. Hilel (הלל), neste ponto, ele concordava também com o ensinamento da yeshivá do rav. Shamai, pois sentenciou:

"Portanto, tudo o que vos disserem (os p'rushim - fariseus), isso fazei e observai; mas não façais conforme as suas obras; porque dizem e não praticam" Matityahu (Mt) cap. 23:3

(Em outra oportunidade relatarei uma passagem da Brit Chadashá (NT) em que Yeshua fala diretamente para os da Yeshiavá do rav. Shamai.

ÉTICA E MORAL PARTE III

A INSTRUÇÃO DE YESHUA 

Yeshua Ha Mashiach - ישוע המשיח- disse:

"Não cuideis que vim destruir a תּוֹרָה Torah ָֹּe os Naviím (lei ou os profetas): não vim anular, mas exercer. Porque em verdade vos digo que, até que o Shamaym (Expansão) e a terra passem, nem um traço ou Yud ('jota ou um til') jamais passará da Torah (lei), sem que tudo seja cumprido. Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos Shamaym; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos Shamaym." Matutyahu (Mateus) 5:17-19

 

Nada precisa ser acrescentado às palavras de ישוע Yeshua, no tocante a sua corroboração aos cumprimentos da Torá. SENDO ELE ENFÁTICO, Só nos resta entender que Ele, além de ser o maior cumpridor da Torá, como rabino que era, a ensinou. Mas o que quero assinalar e chamar sua atenção, é no tocante ao zelo que o mesmo tinha desde a menor Mitzvá (mandamento), até a maior delas, como as do decálogo, só para exemplificar. Mas teria alguma instrução mais específica dentre as palavras de Yeshua ישוע que não estamos enxergando direito? Estaria ele dissertando este princípio dentro da Torá? Bom, é o que pretendo revelar!

 

1 - A lei Sobre Caça aos Pássaros:

Na Torá temos uma passagem bem interessante. Aos olhos menos atentos, chega a passar até despercebidas, veja:

"Quando encontrares pelo caminho um ninho de ave numa árvore, ou no chão, com passarinhos, ou ovos, e a mãe posta sobre os passarinhos, ou sobre os ovos, não tomarás a mãe com os filhotes; Deixarás ir livremente a mãe, e os filhotes tomarás para ti..." Devarím/Palavras (Deuteronômio) 22:6,7

 

Claro que entendendo às pressas e superficialmente, parece apenas tratar-se do equilíbrio do eco sistema, haja-vista que a mãe sendo solta, ela saberá se cuidar e do contrário, quem alimentaria os filhotes? Faz-se importante lembrar, que alguns pássaros são considerados limpos na lei alimentícia de Cashirut (Lv 11). Sendo algumas aves,  como as pombas e rolas, até aceitas como sacrifício no Beith ha Mikdash (CASA DA SEPARAÇÃO -Templo Sagrado).

 

2 - Lei Sobre respeito incondicional aos Pais

Agora exponho outra Mitzvá (Mandamento):

"Honra a teu pai e a tua mãe..." Shemot/Nomes (Êxodo) 20:12

 

Você pode estar se perguntando: O que tem haver as palavras de Yeshua ישוע sobre mandamentos grandes e pequenos, sobre recompensas (Mt 5:17-19) e essas duas pagens em especial?

 

Resposta: Tudo!

 

Era sobre este cuidado que ele queria nos informar. Explicar-me-ei melhor!

a) - Sobre a lei da caça de aves em Devarím/Palavras (Deuteronômio) 22:6,7, essa é considerada uma mitzvá mui fácil a ser aplicada. Não tem nenhuma complicação de segui-la. Apesar de importantíssima, é considerada uma Mitzvá pequena. 


b) - Já em Shemot/Nomes (Êxodo) 20:12, não é tão simples assim, diferentemente do que muitos pensam, no Decálogo, só nos é dado o Mandamento de honrar pai e mãe e ponto final. Não temos como válvula de escape, caso os pais sejam iníquos, a liberação ao desrespeito.. Eles têm aos olhos de Hashem, direito do seu mais profundo respeito e obediência. Quando digo ser esta uma Mitzvá difícil de se aplicar, se dá ao fato dela ser contínua em nossas vidas, todos os dias lidamos com ela, assim como situações aborrecedoras com nossos pais e nem sempre eles estão realmente com a razão. Tirando o fato de deves respeito primeiramente ao Soberano YHWH e o desejo de agradar ao Eterno deve ser além, caso seus pais lhe ordene a idolatria por exemplo, você jamais terá o direito de erguer sequer o tom de voz, olhar atravessado ou agredi-los com palavras, muito menos, fisicamente. Obedecer à Hashem é obedecer suas Mitizvót (Mandamentos) e ele manda honrar pai e mãe incondicionalmente. Deu tanta primazia a esta regra, que a fixou no decálogo com seu próprio dedo! Este é considerado uma mitzvá difícil em todo caso. Yeshua ישוע certa feita provou que os p'rushim (fariseus) e escribas (os eruditos) religiosos em Israel, escorregavam nesta Mitzvá; Marcos 7:1-13.


Imagino que ainda assim deve pairar a dúvida: Mas o quem tem haver um texto com o outro? Por que o rosh escolheu estas duas passagens em específico sobre mandamento mínimo e grande? Qual a relação entre as duas coisas?

Por causa da recompensa por segui-las.

Sobre a lei da caça as aves, considerada de fácil aplicação, Hashem finaliza: "...para que te vá bem e para que prolongues os teus dias." Devarím/Palavras (Deuteronômio) 22:,7.

Já concernente ao grande Mandamento de se honrar (também financeiramente falando) pai e mãe Adonay conclui: "... para que se prolonguem os teus dias na terra que o Yahueh teu Elohah te dá" Shemot/Nomes (Êxodo) 20:12.

Como pôde perceber, tanto na Mtizvá simples quanto na complexa, a recompensa foi semelhante:  A de acréscimo de dias na terra.

Agora, entendendo melhor a mente de Yeshua ישוע , releia o texto novamente em Maityahu (Mt)5:19:

 

"Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos Shamaym; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos Shamaym."

 

Cuidado à todos nós, ignorando mínimos mandamentos, poderemos estar ignorando grandes recompensas. Você pode até pensar que fixar o Shema no seu umbral, ou recitá-lo ao deitar-se e levantar-se, cumprir obrigações com o Shabat, praticar a abstinência de alimentos, moadim etc.... podem ser em alguns casos, pouca coisa, mas saiba que temos só no תנ״ך Tanack (1ª Aliança), cerca de 8000 promessas e todas elas restritamente aos obedientes à Lei. Na desobediência, não vale orações e mais orações. Se fizermos um cálculo básico, perceberemos que 8000 promessas, divididas por 613 mandamentos, temos um probabilidade de cerca de 13 brachot (Bênçãos) por Mitzvá cumprida. Neste caso, o número 13 não é de asar e sim, de bênçãos por mandamentos. Lembrando também, que na gematria, o numeral 13 é o equivalente a raiz da palavra אהבה Ahavá (Amor). Assim sendo, Yeshua também tentou nos mostrar isso quando disse: "A Torá resume-se em Amor." Amor à Hashem e a nós mesmos. Leis horizontais e verticais.

Shalom, shalom!

 

ראש משה בן שלום - Rosh Moshé ben Shalom

 

 

Hilel e Shamai

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Square
  • google-plus-square