Entendendo os 3 níveis da Birkát Cohaním: 

 

יְבָרֶכְךָ יְהוָה, וְיִשְׁמְרֶךָ  -  "Ievarechechá Iahueh veish’merêcha.

יָאֵר יְהוָה פָּנָיו אֵלֶיךָ, וִיחֻנֶּךָּ  -  Iaêr Iahueh panáv Elêcha vichunêka.

יִשָּׂא יְהוָה פָּנָיו אֵלֶיךָ, וְיָשֵׂם לְךָ שָׁלוֹם  -  Issá Iahueh panáv elêcha veiasêm lecha shalom"

 

"Que IAHUEH te abençoe e te guarde.

Que IAHUEH faça resplandecer o sEu rosto sobre ti, e tenha misericórdia de ti.

Que IAHUEH sobre ti levante o sEu rosto, e te dê a paz.

...Assim porão o meu Nome sobre os filhos de Israel e EU os abençoarei” Amn.

 

     Vejamos agora de forma concisa, algumas peculiaridades e importâncias sobre está Brachá (Bênção). Nela, o Nome do Eterno é invocado e isso é seríssimo!

 

1) - Não podemos receber, em forma de benção, a invocação do Tetragrama de outra maneira, pois escrito está: Assim porão o meu Nome sobre os filhos de Israel e EU os abençoarei” , Isto é, Desta maneira! Neste modelo! Desta única forma! Então temos um modelo a seguir, não uma sugestão. Sabemos agora como fazer a invocação do Nome YHWH.

 

2) - Três são as vezes em que o Tetragrama é invocado para abençoar. Sabemos que com o tetragrama YHWH (as 4 letras do hebraico, Yud, He, Vav e He יהוה), escrevemos em hebraico: passado presente e futuro! Hashem não está sujeito ao tempo, bem como ao espaço. Pensemos no tempo como uma 4ª dimensão que ainda não compreendemos bem. Apenas conseguimos perceber que existe.

 

3) - A 1ª invocação do Tetragrama nesta brachá (benção) diz: "Ievarechechá Iahueh veish’merêcha" - "Que IAHUEH te abençoe e te guarde". Esta primeira invocação é importantíssima e e resume-se em tudo. Uma pessoa que recebe as brachot (bençãos) do Pai, necessita é claro, de proteção. Proteção contra os ímpios que buscam tirar os bens adquiridos dos justos. Proteção contra os falsos tsedikim (justos), que inveja as bençãos adquiridas pelos verdadeiros Tsedikim. Sejam elas físicas ou espirituais. Pensando nisto, é notório que se pedimos ao Eterno que nos abençoe, também carecemos de sua proteção, para assegurar aquilo que Ele nos concede.

 

4)- A segunda invocação: "Iaêr Iahueh panáv Elêcha vichunêka" - "Que IAHUEH faça resplandecer o sEu rosto sobre ti, e tenha misericórdia de ti". Quem almeja este restrito privilégio, deve sobretudo entender que, o Resplandecer da face do Eterno, vem com consequências mortais para aqueles que não estão preparados. A Santidade do indivisível é inescrutável. veja:

"E falava o YHWH a Moshé face a face, (ain by ain - olho no olho, no original) como qualquer fala com o seu amigo" Shemot (Ex) 33:11.

        Claro que esta passagem comporta um sentido figurativo, haja-vista que Moshé não via imagem alguma enquanto dialogava. No entanto, revela-se aqui uma importância: Hashem não enviava mensageiros à falar com teu servo Moshé (de abençoada memória), mas comunicava-se direto com ele. Em Shemot (Ex) 34:35 narra o seguinte:

"Assim, pois viam os filhos de Israel o rosto de Moshé, e que a pele do seu rosto resplandecia; e tornava Moshé a pôr o véu sobre o seu rosto, até entrar para falar com Elohah"

        Note que estou mostrando uma conexão direta, entre esta passagem e a segunda invocação da benção Sacerdotal; Moshé ao falar com o Eterno e ver sua Santidade, recebia tanta luz que sua face resplandecia. O povo de Israel que, não tinha atingido a transcendência espiritual de Moshé, não suportava o brilho de sua face; obrigando o mesmo a se cobrir quando transmitia as abençoadas Palavras de Hashem. O "ROSTO", que significa a presença do Eterno, é tão terrível que está explicitado na Torá:

"Também qualquer homem da casa de Israel, ou dos estrangeiros que peregrinam entre eles, que comer algum sangue, contra aquela alma POREI O MEU ROSTO, e a extirparei do seu povo"  Vaikrá (Lv) 17:10.

    O Eterno afirma destruir o que comete transgressão, apenas "colocando sEu rosto sobre eles". Agora acredito que você compreenderá a 2ª invocação do Tetragrama: "Que IAHUEH faça resplandecer o sEu rosto sobre ti, e tenha misericórdia de ti". Rachem! Rachem, Rachem! (Misericórdia, Misericórdia, Misericórdia!). Queremos ter a presença direta do Eterno interagindo em nós, mas o temor é que ocorra como o acontecido ao povo de Israel; que almejaram ouvir as Palavras diretas do Aba, mas percebeu que não tinha atingido nível espiritual tão elevado para isto - uma elevação transcendental como a dos anjos. Neste nível, não sentimos fome, sede ou vontade de ir ao banheiro... Estamos totalmente ligados a sede da presença Divina. Como aconteceu com Yeshua e com o próprio Moshé: 40 dias e 40 noites abastecidos por esta presença maravilhosa.

5)- A terceira (3ª) e última invocação é: "Issá Iahueh panáv elêcha veiasêm lecha shalom" - "Que IAHUEH sobre ti levante o sEu rosto, e te dê a paz". O costume antigo é que se uma pessoa entrasse na câmara de um Rei e o mesmo não levantasse seu rosto ou seu cetro, a mesma estava condenada a morte. Vale lembrar o que aconteceu com Ester quando jejuou por 3 dias, afim de pedir clemência pelo povo de Israel. No entanto, se o rei a reprovasse por ver seu rosto sem ser convidada, ela própria teria decretado sua pena de morte.

"Então falou Ester a Hataque, mandando-o dizer a Mordechai: Todos os servos do rei, e o povo das províncias do rei, bem sabem que, para todo homem ou mulher que entrar à presença do rei no pátio interior sem ser chamado, não há senão uma sentença, a de morte, a menos que o rei estenda para ele o cetro de ouro, para que viva" Ester 4:10.11.

       Contraste isto com a última parte da Birkat Cohanim: "Que IAHUEH sobre ti levante o sEu rosto, e te dê a paz". Isto é uma benção profética de aceitação, de salvação. HaleluYah!!!!

 

Baruch Hashem! Que alcancemos o favor do Soberano o qual levante sobre nós sEu rosto e assim, só assim, teremos a Shalom!

                                                                                                                                                  משה בן שלום   -   rosh Mosheh ben Shalom

   ברכת כהנים

                       Birkát Cohaním                                Benção Sacerdotal ou Aarônica